...

Ls Advogados

Direito Trabalhista e Previdenciário

Sabesp Deve Pagar Horas Extras a Agente de Saneamento Ambiental

Em um veredito que reforça a importância do cumprimento das normas trabalhistas e dos acordos coletivos, a 1ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) decidiu que a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) deve remunerar como horas extras as horas trabalhadas além da sexta diária por um agente de saneamento ambiental.

Este artigo examina minuciosamente a decisão, explorando suas implicações e reiterando a necessidade de uma observância estrita dos direitos dos trabalhadores.

Contextualização e Detalhes do Caso

Um agente de saneamento ambiental da Sabesp, que prestava serviços em Ubatuba, uma das regiões responsáveis pelo abastecimento e controle de qualidade da água, alegou na justiça trabalhista que sua jornada de trabalho excedia o limite permitido para regimes de turno ininterrupto de revezamento.

Apesar de o regime prever uma jornada de seis horas, o empregado trabalhava oito horas diárias sem uma norma coletiva que autorizasse essa extensão.

Primeira Instância e Decisão do TRT da 15ª Região

O Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT-15) reconheceu a inadequação na extensão da jornada de trabalho do empregado, enfatizando que a ampliação dos turnos ininterruptos de revezamento não pode ocorrer sem uma compensação adequada aos empregados.

Assim, a Sabesp foi condenada ao pagamento das sétima e oitava horas como trabalho extraordinário.

Recurso de Revista da Sabesp e Decisão Monocrática do TST

A Sabesp recorreu, alegando que a escala de revezamento havia sido acordada com o sindicato da categoria e aprovada pelo Ministério Público do Trabalho, incluindo o pagamento de percentuais adicionais para compensar o desgaste dos empregados pela alternância de horários.

O ministro Dezena da Silva, ao analisar o caso monocraticamente, optou por reformar a decisão anterior, excluindo a condenação imposta à companhia.

A Decisão da 1ª Turma do TST

Contudo, essa decisão foi contestada e o caso chegou à 1ª Turma do TST. Os magistrados, por unanimidade, decidiram restabelecer a condenação da Sabesp.

O relator do recurso reiterou que, conforme o artigo 7º, inciso XIV, da Constituição da República, é possível a extensão da jornada em turnos ininterruptos de revezamento somente por meio de negociação coletiva.

Ficou evidenciado, pelo quadro fático descrito pelo TRT, que não existia uma norma coletiva que autorizasse tal prática no caso em questão.

Implicações e Reflexões Jurídicas

A decisão do TST é emblemática e serve como um lembrete robusto de que as regulamentações trabalhistas existem para serem cumpridas.

A necessidade de acordos coletivos para modificar jornadas de trabalho, especialmente em regimes de turno ininterrupto de revezamento, não é apenas uma formalidade, mas uma garantia de proteção aos direitos dos trabalhadores.

Este caso destaca a importância de as empresas observarem rigorosamente a legislação trabalhista e os acordos firmados com representantes dos empregados.

Conclusão

A decisão da 1ª Turma do TST no caso da Sabesp contra o agente de saneamento ambiental ressalta a importância de respeitar os acordos coletivos e as normas trabalhistas.

Este veredito não apenas corrige uma injustiça para com o empregado afetado, mas também reafirma o compromisso do sistema jurídico com a proteção dos direitos dos trabalhadores.

Casos como este reforçam a necessidade de uma vigilância contínua e de uma abordagem criteriosa por parte das empresas em relação às normas trabalhistas, garantindo assim um ambiente de trabalho justo e equitativo.

Compartilhe:

Marcel Sanches
Marcel Sanches

Advogado na Ls Advogados. Especialista em Direito Privado e Atuação nos Tribunais Superiores. Utilizou IA para colocar esta camisa social, pois não queria tirar uma nova foto.

Últimos Posts

ler dort direito trabalhista

Lesão Por Esforço Repetitivo: Quais São Seus Direitos Trabalhistas por LER/DORT?

A Lesão por Esforço Repetitivo (LER), ou Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho (DORT), é uma condição comum entre trabalhadores...

como provar doenca do trabalho

Como Provar Doença do Trabalho Para Ser Indenizado?

Os trabalhadores que desenvolvem doenças ocupacionais têm direito a vários benefícios e garantias. Esses direitos são oferecidos tanto pelo...

direitos trabalhistas em casos de demissão por doença

Fui Demitido Doente. O Que Fazer? Posso Processar?

A demissão por doença é uma questão delicada que envolve diversos direitos trabalhistas. O artigo explora três principais cenários:...

Proteção e Estabilidade no Trabalho

Como Funciona o Direito à Estabilidade Provisória no Trabalho

A estabilidade provisória no trabalho é uma proteção legal que assegura a permanência do emprego em situações específicas, como...

advogada demissao gestante

Advogado Demissão Grávida: Como um Advogado Especialista na Demissão Grávida Pode Ajudar?

Foi demitida durante a gravidez? Um advogado demissão grávida especialista pode te ajudar a garantir seus direitos trabalhistas e...

demissao gravida aviso previo direitos da gestante demitida aviso previo aviso previo gestante

Demissão Grávida: Aviso Prévio Tem Estabilidade da Gestante e Indenização

Quando uma empregada descobre que está grávida, seja no curso do aviso prévio trabalhado ou no período coberto pelo...

pode demitir gravida na experiencia ls advogados

Grávida Pode Ser Mandada Embora na Experiência?

A grávida não pode ser demitida na experiência, pois o Tribunal Superior do Trabalho já decidiu, com base na...

fui demitida gravida e nao quero voltar ls advogados

Fui Demitida Grávida e Não Quero Voltar. E Agora, O Que Fazer?

Fui demitida grávida e não quero voltar, o que fazer? A grávida tem o direito de escolher se quer...

gestante demitida não é obrigada a voltar ao trabalho

Gestante Não é Obrigada a Voltar ao Trabalho – Decisão do TRT2

A legislação trabalhista desempenha um papel crucial ao salvaguardar os direitos das mulheres gestantes no ambiente de trabalho. Essa...

fui demitida gravida e agora advogado trabalhista ls advogados

Fui Demitida Grávida. O Que Fazer?

A gestante demitida grávida que não quer voltar pode optar pela indenização no lugar da reintegração.

Áreas do Blog

Deixe Seu Comentário
(Caso Deseje Realizar Uma Consulta, Entre Em Contato Através do WhatsApp):

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

whatsapp advogado online
Seraphinite AcceleratorOptimized by Seraphinite Accelerator
Turns on site high speed to be attractive for people and search engines.